domingo, 15 de dezembro de 2013

Conferências do Sharath: reflexões e sabedoria

Todos os domingos geralmente às 4h da tarde, todos os alunos se reúnem no shala para ouvir as palavras do Sharath.  Também é um momento que os alunos podem fazer perguntas  podendo tirar suas dúvidas sobre a prática. Na maioria das vezes, o shala está lotado. Todos vão se aglomerando dentro da sala e alguns minutos antes de iniciar, sempre há muitos encontros e conversas com os amigos de prática. Parece uma grande reunião em família.  Quando Sharath chega, o silêncio vai tomando conta do local e todos os olhos se voltam atentos à ele.
Alguns minutos de silêncio se instalam no local , até Sharath iniciar fazendo uma prece. Ele pára, olha a todos e começa falar sobre algum assunto. Geralmente ele cita um sutra de Patanjali ou um trecho do Bhagavad Gita ou Hatha Yoga Pradipka para iniciar aquilo que deseja ressaltar no dia.
O assunto que é sempre é abordado nas conferências, é a importância dos asanas, mas como eles devem ser utilizados corretamente na prática de yoga. Muitos vêm para cá com objetivo único de aprimorar sua prática de asanas e ganhar mais posturas... mas ele sempre enfatiza sempre que isso não é a prática e não é o mais importante. Ele ressalta essas palavras com muito bom humor: “Oh! Isto aqui não é uma academia de ginástica, vocês não estão aqui para malhar! Vocês estão aqui para trazer paz para si mesmos e saber quem realmente são!”
O caminho espiritual é o que realmente tem sentido: buscando a paz dentro de nós, percebendo quem somos de verdade. Todo esforço logicamente é necessário para chegar nesse caminho. Por isso precisamos estar ali todos os dias  lidando com as nossas dificuldades, medos e inseguranças  liberando as toxinas do corpo e mente e assim buscando o auto-conhecimento para ser cada dia uma pessoa melhor. 
Ele também sempre lembra alguma história da sua experiência pessoal na prática e lembra com muito carinho dos ensinamentos do seu avô e Guru Pattabhi Jois. Dá para ver em seu rosto quanto saudosismo e gratidão  que ele tem por ele. Geralmente as histórias nos fazem rir, pois ele sempre conta com muito humor como seu avô falava e agia.

Percebo que intuitivamente Sharath acaba sempre tocando num assunto que estávamos precisando ouvir naquele dia. Parece que ele escutou nossas conversas e dúvidas antes. Isso nos toca profundamente e nos faz refletir sobre assunto. Algumas vezes as palavras são tão profundas que  até nos deixam emocionados.
Depois de falar por alguns bons minutos, ele pergunta se alguém tem alguma dúvida. As perguntas são de inúmeros tipos. Muitos têm dúvida de como devem se alimentar, dormir ou manter sua prática. Algumas perguntas às vezes são bem confusas e Sharath responde com muita simplicidade.  
O que mais me impressiona a cada conferência que tenha assistido até hoje é que ele está cada vez melhor, mais maduro e com muita sabedoria. Quando o vejo falando, vejo a prática dentro dele, ele não fala porque decorou algum texto ou discurso, ele fala porque ele realmente pratica e vive o Yoga.  Como ele mesmo falou em uma das últimas conferências: “minha prática de yoga é meu batimento cardíaco”. Nessa horas seus olhos brilham de amor e devoção.
Por isso sinto que cada conferência é um presente divino. Todas aquelas reflexões se mantêm vivas em minha mente durante toda a semana e são elas que me inspiram a cada prática. 
Namaste!



2 comentários: