quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Brasil - India



Saio de Porto Alegre no meio do caos de férias, aeroportos lotados e confusos. Tudo bem, o importante e manter a calma e seguir em frente. Aqui começa o momento do desapego: depois de muitas lagrimas e despedidas, chegou a hora de deixar o Brasil. Hora de ficar longe do esposo, amigos, casa, trabalho...aproveitar para descansar e reciclar minha pratica espiritual. Nao foi tão fácil praticar o desapego neste momento, pois a mesma vontade que tinha de vir para Índia, era a mesma de continuar no Brasil. Um receio ainda ficava no ar por não saber ao certo o que poderia acontecer aqui, mas resolvi não pensar mais sobre isso, me entregar e vir de coração aberto. E foi assim que tudo aconteceu perfeitamente bem, vôos nos horários marcados e nenhum problema no trajeto. Thanks god!  Percorri uma longa distancia ate chegar aqui, muita austeridade e perseverança.
Fazendo mais ou menos as contas de quantas horas percorrida:
1h e 30- POA/ SP , 10h e 30- SP/PARIS, 9h-  PARIS/ BANGALORE e 2h e 30- BANGALORE/ MYSORE...Ufa! Cansei! Fusorario de 7h e meia.
Chego na casa a onde estou hospedada de madrugada e os donos estavam dormindo...e agora? Tudo escuro, nenhum sinal de pessoas... O taxista me ajudou a fazer barulho e depois de alguns longos minutos aparece o casal de indianos bem sonolentos.
Fui acomodada na minha suíte no anexo da casa, quarto grande e uma cama gigantesca! O banheiro não e la essas coisas, mas esta dentro dos padrões de limpeza da Índia...com uma boa faxina para ficar melhor.
Como já era quase dia, achei melhor não dormir . Cochilei apenas duas horas para esperar o dia amanhecer e o comercio abrir. Precisava ligar urgentemente para o Brasil e dar noticias para meu marido. Sai de casa sozinha afim de descobrir um telefone ou internet. Fiquei com um pouco de medo, poucas pessoas na rua...sera qe estou no caminho certo?
Enfim encontrei um movimento de pessoas e uma cabine telefônica. Cabine tefonica aqui e simplesmente um aparelho de telefone fixo bem velhinho onde o vendedor vai computando os minutos. Muito barato para ligar!
Consegui ligar para Lucia, uma amiga brasileira que esta aqui ha 6 meses. Ela me ajudou muito na minha vinda para ca conseguindo hospedagem e translado.
Tudo hoje era novidade e um pouco estranho, passei o dia conhecendo as ruas da cidade e locais para comer e usar internet.
A tarde chegou a hora de fazer minha matricula no Ashtanga Yoga Institute. Fiz o registro na ante sala e hora de acertar as contas no escritorio. Passei pela sala de pratica para chegar ate la. A sala e grande com muitas fotos de deidades e um quadro bem grande de Pathabi Jois, o fundador do Ashtanga Vinyasa Yoga. Entro no escritório e encontro Sharat  sentado,ele e o neto de Pathabi e meu professor durante todo o mês. Nem acreditei! Fiquei um pouco sem graça e nervosa, não sei porque. Nao achei que seria ele que estaria ali recebendo o dinheiro. Não consegui expressar nenhuma palavra, apenas contei todo o dinheiro e me despedi: Thank you!
A tarde fui passear e fazer uma compras basicas de sobrevivência. Tive que tirar foto para o registro da matricula, comprar adaptador de tomada para o computador, comprar frutas e muitas coisinhas mais. Minha room mate, Alex tem me ajudado muito também. E a quinta vez que ela vem a Mysore e conhece tudo. Fiquei impressionada com sua desenvoltura com os indianos e com a cidade. Será que vou ficar assim daqui alguns dias? Todos aqui tem moto, pois apesar de ser tudo perto e uma boa forma de se locomover. O sono foi chegando no final da tarde e meu corpo estava bem cansado. Preciso descansar pois a amanha será meu primeiro dia de pratica.
                                                                                                          Namaste!

Um comentário:

  1. Oi, Dany! Parabéns pelo blog e aproveite bem a India. Um abraço.

    ResponderExcluir